Comunidades ribeirinhas recebem atendimento de saúde do barco Abaré

O barco-hospital Abaré navegará durante nove dias pelos rios Tapajós, Arapiuns e Amazonas para realizar mais de dois mil atendimentos a crianças, adolescentes, adultos e idosos. Além dos atendimentos, também serão realizadas palestras e ações coletivas de educação, abordando temas como saúde bucal, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e abuso de droga. Em 2017, a primeira edição do Barco da Saúde levou 22 estudantes e profissionais da saúde para prestar assistência às comunidades ribeirinhas do Amazonas. Em uma semana, a equipe realizou cerca de mil atendimentos.

Imprimir

O barco Abaré vai levar atendimento de saúde aos ribeirinhos

De 22 a 31 de julho, o projeto Barco da Saúde, organizado por professores e alunos da Faculdade São Leopoldo Mandic, parte para sua segunda edição levando medicamentos e cuidados médicos e odontológicos gratuitos para as populações ribeirinhas da região de Santarém.

O objetivo do grupo é realizar mais de dois mil atendimentos a crianças, adolescentes, adultos e idosos que vivem às margens dos rios Tapajós, Arapiuns e Amazonas.

A ação, que visa oferecer assistência básica às comunidades isoladas geograficamente, terá entre os tripulantes dentistas e médicos especialistas em clínica geral, oftalmologia, dermatologia, pediatria e ginecologia, além de equipe de enfermagem. Dezesseis alunos de medicina e odontologia também farão parte do grupo.

“Temos muito orgulho de criar um projeto tão sensível como este, e poder atender e ajudar as pessoas que realmente precisam”, afirma a Dra. Fabiana Succi, coordenadora adjunta do curso de Medicina da Faculdade São Leopoldo Mandic, em Campinas. “Além de levar atendimento feito por nossos profissionais e alunos, esta é uma experiência que promove crescimento pessoal e profissional para todos os envolvidos”, completa a médica.

O barco-hospital Abaré navegará durante nove dias pelos rios do Pará e oferece estrutura de atendimento composta por quatro consultórios médicos, um consultório odontológico e salas individuais para pequenos procedimentos, como o de coleta de exames, curativos, de observação e suporte básico de vida. Os demais atendimentos serão feitos em escolas e locais disponíveis nas comunidades.

Além dos atendimentos, também serão realizadas palestras e ações coletivas de educação, abordando temas como saúde bucal, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e abuso de droga.

A farmacêutica EMS apoia o projeto com doações de medicamentos. “A EMS sempre investiu na ampliação do acesso da população à saúde. Para nós, é uma honra participar do projeto Barco da Saúde e poder levar medicamentos às comunidades ribeirinhas, que enfrentam condições tão precárias de saúde”, diz Josemara Tsuruoka, gerente de marketing institucional da EMS.

Em 2017, a primeira edição do Barco da Saúde levou 22 estudantes e profissionais da saúde para prestar assistência às comunidades ribeirinhas do Amazonas. Em uma semana, a equipe realizou cerca de mil atendimentos.

 

 

 

Leia também:
Espécies florestais ameaçadas de extinção são…
Audiência pública discute problemas do PAE…
Ufopa convoca alunos em situação de…
Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *