Pecuaristas tem capacitação em Juruti Velho

Criadores de gado de oito comunidades da região de Juruti Velho participaram de curso de bovinocultura. As comunidades fazem parte do Programa de Apoio à Agricultura Familiar, dos Planos de Controle Ambiental (PCAs) da Alcoa. No curso, realizado pelo Instituto Vitória Régia (IVR) em parceria com a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), foi destacada a importância dos negócios agropecuários, possibilitando aos produtores rurais uma visão mais ampla sobre a administração de seus negócios e os cuidados com o gado.

Imprimir

A abordagem sobre bovinocultura se baseou na realidade local, seus aspectos econômicos e geográficos.

JURUTI - Criadores de gado de oito comunidades da região de Juruti Velho, neste município, no Oeste do Pará, participaram de curso de bovinocultura, no período de 9 a 11 de junho, na  comunidade Novo Horizonte.

As comunidades fazem parte do Programa de Apoio à Agricultura Familiar, dos Planos de Controle Ambiental (PCAs) da Alcoa. No curso, realizado pelo Instituto Vitória Régia (IVR) em parceria com a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), foi destacada a importância dos negócios agropecuários, possibilitando aos produtores rurais uma visão mais ampla sobre a administração de seus negócios e os cuidados com o gado.

Está já é a segunda etapa de capacitações desenvolvidas pela Alcoa junto aos pecuaristas. O curso, nesta etapa, foi dividido em dois momentos: o primeiro com aulas teóricas sobre análise econômica de todo o processo financeiro empregado no negócio, considerando mão de obra, alimentação, sanidade, reprodução, impostos e despesas diversas; e o segundo, sobre sanidade e a montagem de vacinas, incluindo aulas teóricas e práticas.

“Nunca tinha participado de uma oficina dessas, para mim isso foi muito importante. Também nunca tínhamos calculado quanto gastamos para construir o negócio. Isso vai ajudar a melhorar o rebanho, até mesmo na hora da venda, ajudando a calcular os lucros”, conta Ideilson de Alfaia Teixeira, da comunidade Juruti Açú. “Esse foi um curso muito especial, com ele podemos até multiplicar a criação. Agora é só colocar em prática o que aprendemos aqui”, afirma Sebastião da Silva Souza, da comunidade Jauarí.

A abordagem sobre bovinocultura se baseou na realidade local, seus aspectos econômicos e geográficos. “Abordamos a gestão de pequenas propriedades rurais para formação do custo de produção, vacinação contra febre aftosa e brucelose”, acrescentou Gilvandro Andrade, gerente de Assistência Técnica do Instituto Vitória Régia (IVR).

 

Leia também:
O calor de Manaus, o ladrão e o time inglês
Extrativistas tem R$ 120 milhões de bônus até 2016
Construtora ligada ao presidente da Câmara vence licitação para obra na Prefeitura
Ufopa fará estudos de impactos no rio Tapajós
Exportar pelo norte começa a ser realidade

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *