Parceria vai promover pesca esportiva

O Brasil, apesar de contar com um milhão de adeptos e ter realizado 140 torneios no último ano, ainda não conhece o impacto desse esporte na economia. O ministro da pesca, Helder Barbalho, reforçou a necessidade de consolidação de um calendário anual dos eventos de pesca esportiva para promover os destinos. A pesca esportiva movimenta cerca de U$ 40 bilhões por ano nos Estados Unidos.

Imprimir

Fordlândia no Pará é um pólo de pesca esportiva

BRASÍLIA – A pesca esportiva movimenta cerca de U$ 40 bilhões por ano nos Estados Unidos. O Brasil, apesar de contar com um milhão de adeptos e ter realizado 140 torneios no último ano, ainda não conhece o impacto desse esporte na economia.

Para promover e estruturar os destinos que recebem os praticantes da pesca esportiva, o ministro do Turismo, Henrique Alves, e o ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, reafirmaram um acordo de cooperação técnica para fortalecer a relação entre o mercado de turismo e as atividades ligadas à pesca.

Para Henrique Alves, promover e qualificar os destinos que recebem os praticantes da pesca esportiva são ações fundamentais para a modalidade crescer e se consolidar. “Temos um imenso litoral, roteiros preparados para receber turistas do país e do exterior. O Brasil já demonstrou sua capacidade de organizar grandes eventos. Com campeonatos nacionais e internacionais de pesca esportiva vamos atrair os olhos do mundo para nosso país”, disse o ministro do turismo.

Henrique Alves propôs uma ação integrada entre os ministérios do Turismo, Pesca e Esporte para traçar uma estratégia conjunta de promoção da pesca esportiva.

O ministro da pesca reforçou a necessidade de consolidação de um calendário anual dos eventos de pesca esportiva para promover os destinos: “A prioridade agora é trabalhar o calendário de torneios para entregar ao Turismo. Dessa forma, podemos aproveitar melhor nossas ações de promoção e a estruturação dos destinos que devem receber os eventos”.

Entre os objetivos do acordo de cooperação destacam-se o fortalecimento do segmento de turismo de pesca; a identificação de destinos e roteiros turísticos relacionadas ao turismo de pesca; a avaliação de conflitos decorrentes da pesca profissional e amadora; e o mapeamento do perfil dos turistas nacionais e estrangeiros que viajam motivados pela pesca e da oferta turística brasileira relacionada ao segmento. (Com informações do Ministério do Turismo)

 

 

Leia também:
Megaferrovia transoceânica nos planos de Dilma
MPF quer perícia da Ufopa sobre acesso à internet
Pará intensifica vacinação contra febre aftosa
Encontrado corpo do piloto que caiu em Novo Progresso

 

Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *