Audiência debate linha Itaituba/Santarém

Uma das principais reclamações é de que apenas uma embarcação é dada permissão de levar cargas e passageiros. Com o aumento do fluxo de passageiros, em período de férias, por exemplo, os passageiros das cidades intermediárias entre os dois portos são deixados na beira do rio, sem poder embarcar. A solução seria o aumento no número de embarcações fazendo a linha no mesmo dia.

Imprimir

A falta de conforto e dignidade é uma constante nas embarcações

ITAITUBA – Há décadas dominada por um cartel de empresas que não permite a entrada de nenhuma nova embarcação na linha ou qualquer tipo de mudança no péssimo serviço prestado à população, o problemático transporte fluvial entre Santarém e Itaituba, será alvo de audiência pública, na terça, dia 26, nesta cidade.

Quem comanda a audiência é Antônio Bentes de Figueiredo Neto, diretor geral da Arcon, que virá acompanhado de outros membros da diretoria do órgão. Quem também confirmou presença no evento, foi o delegado da Capitania dos Portos, de Santarém. A audiência será realizada no prédio da Câmara Municipal de Itaituba. O evento deverá contar ainda com a participação e presença dos proprietários de embarcações, dos vereadores e da comunidade em geral.

Na pauta de reivindicações da população deverão constar, o fim do cartel monopolizado pelas empresas que se beneficiam da linha, a entrada de novas empresas e o cumprimento de normas de bom tratamento e respeito ao usuário, geralmente desrespeitado e humilhado pelas empresas.

Uma das principais reclamações é de que apenas uma embarcação é dada permissão de levar cargas e passageiros. Com o aumento do fluxo de passageiros, em período de férias, por exemplo, os passageiros das cidades intermediárias entre os dois portos são deixados na beira do rio, sem poder embarcar. A solução seria o aumento no número de embarcações fazendo a linha no mesmo dia.

Outra reclamação dos usuários, também diz respeito a entrada em operação de maior número de lanchas rápidas, com objetivo de superar estes mesmos problemas.

MUDANÇAS A expectativa dos usuários é que, após a audiência deverá haver mudanças importantes na qualidade do serviço que é prestado há muitos anos, pelos mesmo operadores.

“Entra ano, sai ano, e os barcos continuam os mesmos, oferecendo um serviço caro, e de má qualidade. Sem contar a grosseria da maioria dos donos de barcos e lanchas e de alguns tripulantes”, reclama um passageiro.

A expectativa, segundo os usuários, é que esse tempo pode estar com os dias contados, inclusive com o fim do cartel que toma conta dessa linha, e que não permite a entrada de nenhuma embarcação nova, mais confortável, “eles devem perder a hegemonia que mantém há anos”, diz o jornalista Jota Parente, acrescentando que a população não vê a hora de que novas embarcações comecem a operar na linha. (Com informações de Jota Parente)

 

Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *