Alcoa apoia estudantes de Juruti em primeira experiência empresarial

Programa Miniempresa proporciona aos alunos de ensino médio o desafio de gerenciar os negócios de uma pequena empresa. Durante 15 semanas, 25 estudantes têm a oportunidade de comandar uma minifábrica de cabides de alumínio. Os jovens aprendem a administrar sua miniempresa com o apoio de funcionários da Alcoa que são conselheiros voluntários. As atividades ocorrem no contraturno de aulas da escola.

Imprimir

Os jovens aprendem a administrar sua miniempresa com o apoio de funcionários da Alcoa que são conselheiros voluntários.

JURUTI –  Estudantes da Escola Estadual Vereador Raimundo de Sousa Coelho, em Juruti, no oeste paraense, estão arregaçando as mangas para gerenciar sua própria empresa. A experiência está sendo proporcionada pelo programa Miniempresa, realizado pela Alcoa como parte de suas ações de responsabilidade social do empreendimento de mineração de bauxita no município.

A iniciativa conta com o apoio do Instituto Alcoa e da Junior Achievement, e visa agregar à educação formal a vivência prática de organização e operação de uma empresa. Durante 15 semanas, 25 estudantes têm a oportunidade de comandar uma minifábrica de cabides de alumínio.

Eles levantam o capital necessário para iniciar o empreendimento com a venda de ações, organizam a administração elegendo um presidente e seus diretores para as áreas de Recursos Humanos, Produção, Finanças e Marketing, compram matéria-prima, produzem e vendem buscando o máximo de produtividade e rentabilidade, pagam salários e recolhem encargos e impostos que serão doados a instituições assistenciais.

Os jovens aprendem a administrar sua miniempresa com o apoio de funcionários da Alcoa que são conselheiros voluntários. As atividades ocorrem no contraturno de aulas da escola.

A cada semana, os estudantes elaboram um demonstrativo dos resultados e ao final do programa, apresentarão um relatório final com todos os resultados do empreendimento.

Affonso Bizondiretor da Alcoa Juruti, ressalta a importância da iniciativa para o futuro da juventude jurutiense.

“O programa Miniempresa ajudará a abrir um novo horizonte para esses jovens no mercado de trabalho. A partir do entendimento de como funciona uma empresa de fato na prática, eles poderão decidir o futuro profissional e as áreas em que desejam atuar”, avalia o diretor.

O estudante Weverton  Albuquerque, 15 anos, diz que está muito feliz por ter sido selecionado para participar do programa.

“Acredito que o programa vai proporcionar conhecimento e experiências novas, além de abrir futuras oportunidades para estágios e me deixar mais preparado para o mercado de trabalho”, afirma.

Cissa Domingues da Silva, engenheira de Britagem na Alcoa Juruti e conselheira voluntária do programa, também está feliz em integrar o programa Miniempresa.

“Como trabalho na parte de produção, vou levar um pouco dessa realidade para eles, explicando o passo a passo da cadeia produtiva, como se chega a um produto final e noções sobre demanda e oferta. Estou muito feliz pela oportunidade de ser voluntária no programa”, declara a engenheira. (Com informações da Ascom/Alcoa)

 

 

 

Leia também:
Caminhada em defesa do igarapé Urumari
Pesquisa em neurociências investiga…
Semas promove audiências públicas para…
Os 21 novos vereadores eleitos para Câmara…
Nélio Aguiar será o novo prefeito de Santarém
Greve dos bancários já dura 26 dias…
Governador discute com empresários…
Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *