Terminal de combustíveis de Santarém incluso na lista de privatizações do governo

O governo federal divulgou ontem, dia 13, a lista dos primeiros projetos que serão concedidos à iniciativa privada, por meio do programa Crescer. Entre eles está a concessão de terminais de combustíveis de Santarém, que está entre os primeiros projetos a sair do papel. Também deverão ser feitas as concessões dos aeroportos de Porto Alegre, Salvador, Florianópolis e Fortaleza, que terão edital publicado no quarto trimestre deste ano e leilão no primeiro trimestre do ano que vem. Também está previsto para este ano o edital para a concessão do terminal de trigo do Rio de Janeiro.

Imprimir

A direita da foto o terminal de combustível incluso na lista de privatização.

BRASÍLIA – O governo federal divulgou ontem, dia 13, a lista dos primeiros projetos que serão concedidos à iniciativa privada, por meio do programa Crescer. Entre eles está a concessão de terminais de combustíveis de Santarém, que está entre os primeiros projetos a sair do papel.

Também deverão ser ser feitas as concessões dos aeroportos de Porto Alegre, Salvador, Florianópolis e Fortaleza, que terão edital publicado no quarto trimestre deste ano e leilão no primeiro trimestre do ano que vem. Também está previsto para este ano o edital para a concessão do terminal de trigo do Rio de Janeiro.

Os integrantes do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) estiveram reunidos, no Palácio do Planalto, para definir as prioridades de concessões na área de infraestrutura, mudanças regulatórias e venda de ativos.

Já para o ano que vem, devem ser lançados os editais de cinco trechos rodoviários, entre eles as BRs 364 e 365, entre Goiás e Minas Gerais; as BRs-101, 116, 290 e 386, no Rio Grande do Sul.

Também estão na lista de concessões para o ano que vem a ferrovia Norte-Sul, que passará por São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Tocantins, a chamada Ferrogrão, que integrará o Mato Grosso e o Pará e a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), na Bahia.

Ainda neste ano deve ser lançado o edital da quarta rodada de licitações de campos marginais de petróleo e gás natural, sob o regime de concessão. No ano que vem está prevista a 14ª rodada de licitações de blocos exploratórios de petróleo e gás natural sob o regime de concessão e a segunda rodada de licitações sob o regime de partilha de produção, todos para o ano que vem.

Na área de energia, também está prevista a venda de ativos da Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais, e a privatização da Amazonas Distribuidora de Energia, da Boa Vista Energia, da Companhia de Eletricidade do Acre, da Companhia Energética de Alagoas, da Companhia Energética do Piauí e das Centrais. Elétricas de Rondônia.

PROJETO CRESCER O governo estabeleceu algumas mudanças para a concessão de projetos à iniciativa privada. A partir de agora, os editais de concessão só serão lançados depois de passar pelo debate público e obter o aval do Tribunal de Contas da União (TCU).

Outra mudança é que os editais serão publicados em português e inglês, para atrair investidores estrangeiros. O prazo mínimo do edital vai aumentar para cem dias, para permitir que um número maior de investidores se prepare para participar das concessões.

Segundo o governo, o projeto Crescer tem como objetivo oferecer à iniciativa privada projetos técnica e economicamente factíveis, elaborados para melhorar a qualidade do serviço prestado. Também é objetivo do programa a geração de empregos e a retomada do crescimento econômico.

Cinco usinas hidrelétricas também integram o plano de concessões anunciado pelo governo no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI): São Simão (1.710 MW), Miranda (408 MW) e Volta Grande (380 MW) são os projetos com maior capacidade instalada.

Também estão previstas as concessões das pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) de Pery (30 MW) e de Agro Trafo (14 MW). As usinas estão localizadas em Minas Gerais, Goiás e Santa Catarina.

Na área de mineração, serão concedidos quatro projetos por meio do PPI: uma mina de fosfato de Miriri, localizada na fronteira entre Paraíba e Pernambuco; uma de cobre, chumbo e zinco localizada em Palmeirópolis (TO); uma de carvão em Candiota (RS); e uma de cobre localizada em Bom Jardim de Goiás (GO). (Com informações da EBC)

 

 

 

Leia também:
Ufopa sedia encontro internacional de História…
Mulher do vice-governador do Pará vota contra…
Hospital Regional abre vagas para sete cargos
Campanha renegocia débitos na Cosanpa
Educa Mais Brasil tem bolsas de estudo…
Governo do Estado foi alertado para não emitir…
Óleo de copaíba apresenta eficácia no…
Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *