Noruega doa US$ 25 mi para sustentabilidade

O Governo da Noruega anunciou um aporte de US$ 25 milhões para o Fundo da Força-Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF), durante encontro anual do grupo, que ocorre em Barcelona, na Espanha. O recurso terá gestão do GCF e vai apoiar iniciativas e estratégias de produção sustentável nos Estados membros, entre eles o Pará. Para Jatene, o Programa Municípios Verdes e outras iniciativas, como o ICMS Verde, têm possibilitado um avanço em relação à questão da sustentabilidade no Estado.

Imprimir

O governador Simão Jatene fala aos investidores sobre a redução do desmatamento no Pará

BARCELONA – O Governo da Noruega anunciou ontem, dia 17, um aporte de US$ 25 milhões, equivalente a mais de R$ 75 milhões, para o Fundo da Força-Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF), durante encontro anual do grupo, que ocorre esta semana em Barcelona, na Espanha.

O recurso terá gestão do GCF e vai apoiar iniciativas e estratégias de produção sustentável nos Estados membros, entre eles o Pará. Os recursos da Noruega deverão ser aplicados ano a ano, e o Fundo do GCF pode receber verba de outras fontes, abrindo horizontes para novos investimentos e programas que tenham como meta conciliar preservação do meio ambiente com produção.

Para o governador Simão Jatene, a iniciativa do governo norueguês é fundamental para discutir a questão climática e do desenvolvimento sustentável.

“Quando você combate atividades econômicas que são agressivas ao meio ambiente, é importante que as coisas não se esgotem apenas nesse combate, pelo contrário, sejam substituídas por outras atividades menos agressivas, que garantam a sobrevivência das pessoas ”, completou o governador.

INVESTIMENTOS Ainda durante o Encontro Anual da Força-Tarefa de Governadores para o Clima e Florestas (GCF), o governador Simão Jatene aproveitou a presença de investidores internacionais e gestores públicos de vários países para reafirmar que o Estado tem desenvolvido políticas públicas que permitem aumentar a produtividade e, ao mesmo tempo, reduzir os índices de desmatamento.

Jatene também assinou a Declaração de Rio Branco, documento conjunto que defende mais investimentos para que se conquiste a meta de redução em 80% dos índices de desmatamento até 2020.

No documento, gestores de 26 Estados e Províncias de sete países indicaram uma condicionante, conforme é enfatizado no texto. “Estamos comprometidos em garantir que uma parcela substancial de qualquer benefício adicional de pagamento por desempenho que chegue até nossas jurisdições seja dedicada às comunidades dependentes da floresta, pequenos produtores e povos indígenas”, aponta o documento do GCF.

Recentemente, o Fórum de Bens de Consumo, organização com cerca 400 empresas filiadas, somando US$ 3 trilhões de receita, anunciou que tem como meta, até 2020, estabelecer cadeias de abastecimento de suas atividades apenas com empresas de regiões que conquistem o desmatamento zero.

Para Jatene, o Programa Municípios Verdes e outras iniciativas, como o ICMS Verde, têm possibilitado um avanço em relação à questão da sustentabilidade no Estado.  (Com informações da Secom)

 

 

 

Leia também:
IHGTap abre biblioteca e lança obras regionais
Maiores aquíferos sob ameaça de esgotamento
14° Servifest escolhe finalistas regionais
Parceira pela conservação ambiental em Juruti
CUT fará plenária macroregional em Santarém
Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *