Mulher do vice-governador do Pará vota contra cassação de Eduardo Cunha

A deputado federal do Pará, Júlia Marinho (PSC), mulher do vice-governador do Pará, Zequinha Marinho, foi a única deputada paraense que votou contra a cassação do deputado Eduardo Cunha. O plenário da Câmara cassou por 450 votos a favor, 10 contra e 9 abstenções, o mandato do ex-presidente da Casa deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Para a cassação, eram necessários os votos de 257 dos 513 deputados. Júlia Marinho, tem relações políticas com o deputado cassado, e seu partido, o PSC, junto com o PR, foram os com maior números de deputados (dois) que votaram contra a cassação de Cunha.

Imprimir

A deputada Julia Marinho no jatinho do deputado cassado Eduardo Cunha

BRASÍLIA – A deputado federal do Pará, Júlia Marinho (PSC), mulher do vice-governador do Pará, Zequinha Marinho, foi a única deputada paraense que votou contra a cassação do deputado Eduardo Cunha. Outros noves deputados quase todos ligados às Igrejas Evangélicas, foram os únicos a se manifestar contra a cassação de Cunha.

O plenário da Câmara cassou por 450 votos a favor, 10 contra e 9 abstenções, o mandato do ex-presidente da Casa deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Para a cassação, eram necessários os votos de 257 dos 513 deputados.

Júlia Marinho, tem relações políticas com o deputado cassado, e seu partido, o PSC, junto com o PR, foram os com maior números de deputados (dois) que votaram contra a cassação de Cunha.

Os dez deputados que votaram contra a cassação de Cunha foram: Carlos Marun (PMDB-MS); Paulo Pereira da Silva (SD-SP); Marco Feliciano (PSC-SP); Carlos Andrade (PHS-RR); Jozi Araújo (PTN-AP); Júlia Marinho (PSC-PA); Wellington (PR-PB); Arthur Lira (PP-AL); João Carlos Bacelar (PR-BA); Dâmina Pereira (PSL-MG).

Outros noves deputados se abstiveram de votar na sessão que cassou o mandato e suspendeu os direitos políticos de Eduardo Cunha por 8 anos. Os nove deputados que se abstiveram foram: Laerte Bessa (PR-DF); Rôney Nemer (PP-DF); Alfredo Kaefer (PSL-PR); Nelson Meurer (PP-PR); Alberto Filho (PMDB-MA); André Moura (PSC-SE); Delegado Edson Moreira (PR-MG); Mauro Lopes (PMDB-MG); Saraiva Felipe (PMDB-MG).

Com a decisão do plenário, Cunha, atualmente com 57 anos, fica inelegível por oito anos a partir do fim do mandato. Com isso, está proibido de disputar eleições até 2026. Assim, ele só poderá se candidatar novamente aos 67 anos. (Com informações da EBC)

 

 

 

Leia também:
Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *