Jatene quer privatizar Cosanpa via BNDES

O governador Simão Jatene (PSDB) solicitou ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que inclua no programa de privatização do governo federal a Companhia de Saneamento do Pará (COSANPA). Segundo a presidente do BNDES, Maria Silvia, o banco irá participar do programa de concessões disponibilizando R$ 30 bilhões para apoiar o financiamento de longo prazo dos projetos incluídos no programa, sendo que R$ 18 bilhões serão via BNDES e outros R$ 12 bilhões pelo Fundo de Investimentos do FGTS.

Imprimir

A estatal de saneamento paraense será privatizada a pedido do governador.

BRASÍLIA – O governador Simão Jatene (PSDB) solicitou ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que inclua no programa de privatização do governo federal a Companhia de Saneamento do Pará (COSANPA).

Segundo a presidente do BNDES, Maria Silvia, o banco irá participar do programa de concessões disponibilizando R$ 30 bilhões para apoiar o financiamento de longo prazo dos projetos incluídos no programa, sendo que R$ 18 bilhões serão via BNDES e outros R$ 12 bilhões pelo Fundo de Investimentos do FGTS.

Inicialmente, são três projetos de concessões de serviços de distribuição de água, coleta e tratamento do esgoto: a Companhia Estadual de Água e Esgoto do Rio de Janeiro (CEDAE), a Companhia de Águas e Esgotos do Estado de Rondônia (CAERD) e a Companhia de Saneamento do Pará (COSANPA). A presidente do BNDES disse que estas estatais entraram no programa a pedido dos próprios governadores dos Estados.

Durante o anúncio do programa, a presidente do banco, Maria Silvia, disse que o saneamento básico deve ser prioridade no plano de concessões. O banco afirma que irá atuar na etapa de estruturação dos projetos que pretendam atrair investimentos privados, desde a fase de estudos até a assinatura do contrato entre concessionárias e governos estaduais.

“O BNDES priorizará o setor de saneamento, devido ao elevado montante de investimentos necessários, o atraso do país no setor e, principalmente, pelo impacto em saúde, qualidade de vida, produtividade na educação e no trabalho, meio ambiente e geração de renda e empregos”, diz o comunicado à imprensa.

O banco diz que serão mantidas as condições atuais de financiamento para o setor de saneamento, com até 80% de participação do BNDES. O órgão também atuará em outras concessões, como de rodovias e de aeroportos. (Com informações do GGN)

 

 

 

 

Leia também:
Terminal de combustíveis de Santarém incluso…
Ufopa sedia encontro internacional de História…
Mulher do vice-governador do Pará vota contra…
Hospital Regional abre vagas para sete cargos
Campanha renegocia débitos na Cosanpa
,Educa Mais Brasil tem bolsas de estudo…
Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *