Leão perde invencibilidade para o Cametá

Num jogo de 10 gols e com um jogador a menos durante todo o 2º tempo, o São Francisco perdeu a sua invencibilidade no 2º turno do Parazão 2012 ao ser derrotado na quinta, dia 9, pelo Cametá por 6 a 4. A partida foi realizada no Parque do Bacurau, em Cametá.

Imprimir

Num jogo de 10 gols e com um jogador a menos durante todo o 2º tempo, o São Francisco perdeu a sua invencibilidade no 2º turno do Parazão 2012 ao ser derrotado na quinta, dia 9, pelo Cametá por 6 a 4. A partida foi realizada no Parque do Bacurau, em Cametá.

Com a derrota, o Cametá somou 4 pontos e ocupa a 4ª posição. O Leão Azul do Tapajós continua em 2º lugar, mas a 3ª rodada ainda não terminou. Ainda faltam 3 jogos, que serão realizados no domingo e segunda-feira.

Os gols do time santareno foram marcados por Boquinha, Balão Marabá, Diego Carioca e Caçula.

O próximo jogo da Leão santareno é contra a equipe do Independente, no Colosso do Tapajós, no próximo domingo, dia 18.

 

GOLEADA Em pleno estádio da Curuzu, em Belém, o São Francisco aplicou goleada por 3 x 0, na equipe do Paissandu.

O jogo valendo pela segunda rodada do returno do Parazão 2012, entrou para a história com uma grande humilhação bicolor para um time da região oeste do Pará. No final dos 90 minutos a torcida bicolor soltou gritos de ‘timinho’ e aplausos ao Leão Azul santareno, que se impôs em campo ao apático time bicolor.

O São Francisco subiu para a segunda colocação e empurrou o “Bicola” para a sexta posição da tabela de classificação do returno.

a � fu@r ��� ustriais, a qualidade do ar, o ruído ambiental; monitora o efeito da borda sobre a fauna e flora provocadas pelo desmatamento para a atividade de lavra da bauxita; estuda e acompanha a fauna, flora e solos das áreas reabilitadas, a mastofauna aquática do lago Sapucuá e ainda realiza o monitoramento de primatas e de abelhas.

 

As ações de mitigação dos impactos adotados pela MRN estão contempladas em grandes programas desenvolvidos em parceria com instituições de pesquisa e centros de grandes universidades brasileiras, entre elas o Instituto de Pesquisas da Amazônia (INPA), Faculdades Integradas do Tapajós (FIT) e Universidade Federal de Góiás.

Anualmente, a empresa investe cerca de R$ 12 milhões para a execução dos programas de reabilitação de áreas mineradas e monitoramento hídrico, atmosférico, fauna, flora e solos.

 

Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *