Avião movido à luz solar dará volta ao mundo

Totalmente movido a energia solar, o Solar Impulse – 2 será o primeiro a dar uma volta ao mundo sem uma gota de combustível. O ultraleve é prova do enorme potencial das novas tecnologias, que contribuem para a eficiência energética, uso de combustíveis renováveis ​​e novas soluções de transporte. O primeiro protótipo ficou conhecido por ter atravessado o Atlântico e os Estados Unidos de costa a costa somente com energia solar. O Solar Impulse – 2 sairá do Golfo Pérsico e irá para a Índia e o Oceânico Pacífico. O objetivo dos criadores suíços Bertrand Piccard e André Borschberg é conscientizar a sociedade sobre a necessidade de economizar os recursos energéticos do planeta e mostrar que isso é possível.

Imprimir

O Solar Impulse - 2 é prova do enorme potencial das novas tecnologias, que contribuem para a eficiência energética, uso de combustíveis renováveis e novas soluções de transporte.

SÃO PAULO - O Solar Impulse – 2 já está preparado para uma viagem que marcará a história do transporte aéreo.  Totalmente movido a energia solar, o ultraleve será o primeiro a dar uma volta ao mundo sem uma gota de combustível.

A bordo, produtos e soluções garantem que o avião seja mais leve e tenha mais eficiência energética, além de proporcionarem o isolamento térmico da cabine do piloto. O objetivo dos criadores suíços Bertrand Piccard e André Borschberg é conscientizar a sociedade sobre a necessidade de economizar os recursos energéticos do planeta e mostrar que isso é possível.

O Solar Impulse – 2 é prova do enorme potencial das novas tecnologias, que contribuem para a eficiência energética, uso de combustíveis renováveis ​​e novas soluções de transporte. O primeiro protótipo ficou conhecido por ter atravessado o Atlântico e os Estados Unidos de costa a costa somente com energia solar. Porém, ainda não era capaz de conquistar o globo porque pesquisas comprovaram que suas asas não tinham tamanho (63,4 metros) e nem células receptoras de energia (12 mil) suficientes para esta jornada.

A nova versão recebe a energia solar por cerca de 17.200 células e sua extensão é de 72 metros, a mesma ou até maior do que as dos aviões de passageiros. Com estas mudanças, o novo ultraleve passou a ter 2,3 toneladas. “Sem estas modificações este avião não teria sido eficiente o bastante para voar dia e noite sem combustível”, disse Piccard.

O Solar Impulse – 2 sairá do Golfo Pérsico e irá para a Índia e o Oceânico Pacífico.

Leia também:

Aneel recebe estudo sobre usina no Tapajós

Cargill inicia ampliação de terminal graneleiro

Acidentes aéreos: dois pesos, duas medidas

MRN incentiva piscicultura entre comunitários

Os riscos dos agrotóxicos nos alimentos

O dilema da água potável aos ribeirinhos

 

 

 

Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *