Ufopa ofertará cursos fora da sede este ano

A Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) recebeu ontem, dia 11, portaria do Ministério da Educação que autoriza o funcionamento de seis cursos regulares fora da sede da entidade. São eles o de Administração, no campus de Alenquer; Engenharia Civil, em Itaituba; Agronomia e Engenharia de Minas em Juruti; e Ciências da Informação e Ciências Biológicas da Conservação, em Oriximiná. A instituição ainda espera que até amanhã, dia 13, a publicação da autorização dos cursos de Engenharia de Aquicultura, do campus de Monte Alegre, e de Pedagogia, em Óbidos.

Imprimir
A reitora da Ufopa, Raimunda Monteiro

A reitora da Ufopa, Raimunda Monteiro

SANTARÉM – A Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) recebeu ontem, dia 11, portaria do Ministério da Educação que autoriza o funcionamento de seis cursos regulares fora da sede da entidade. São eles o de Administração, no campus de Alenquer; Engenharia Civil, em Itaituba; Agronomia e Engenharia de Minas em Juruti; e Ciências da Informação e Ciências Biológicas da Conservação, em Oriximiná.

A instituição ainda espera que até amanhã, dia 13, a publicação da autorização dos cursos de Engenharia de Aquicultura, do campus de Monte Alegre, e de Pedagogia, em Óbidos.

Dos oito cursos, apenas Agronomia e Pedagogia já são ofertados na sede. Os demais são inéditos na Universidade. “Isso significa que o candidato que queira fazer um curso de Engenharia Civil em uma universidade pública, por exemplo, pode ir para Itaituba, não precisa ir para Belém, Manaus ou outra capital mais distante. Estamos ofertando cursos que ampliarão as possibilidades de formação em nível superior na nossa região”, destaca a reitora Raimunda Monteiro.

FUNCIONAMENTO Agora, a Ufopa dará início à seleção de candidatos às novas turmas. O edital do primeiro Processo Seletivo Regular (PSR) deverá ser publicado ainda em setembro, com início das aulas no segundo semestre letivo de 2017 no mês de novembro, de acordo com o calendário acadêmico. Cada curso ofertará 40 vagas.

Quanto aos servidores, os campi já contam com técnicos administrativos em educação que atuam desde 2012 nos seis municípios e que vêm dando suporte aos cursos do Parfor. Os docentes, recém aprovados no concurso de 2016, serão nomeados a partir do dia 15 de setembro. O quadro docente será suplementado ainda com professores substitutos, nas vagas não preenchidas pelo concurso público. A partir do quadro completo, os cursos terão autonomia para a construção das propostas pedagógicas dos cursos.

Apesar do contingenciamento orçamentário, a Administração Superior garante que a manutenção dos cursos não será prejudicada. “A partir da Emenda Constitucional nº 95, nós temos dificuldade em projetar novos cursos regulares, mas podemos assegurar que os que estamos criando agora estão pactuados com o MEC para terem a sua situação garantida”, ressalta a reitora.

 

 

 

Leia também:
Alter do Chão recebe Tapajazz Festival
Coema aprova recomenda sobre exportação…
Juiz suspende decreto de extinção da Renca
Novo site informa sobre riscos de enchentes…
Pistoleiro que matou prefeito pode ser…
Encerradas buscas no naufrágio do ‘Capitão Ribeiro’
Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *