Salão do Livro do Baixo Amazonas será aberto no dia 7 de setembro

No ano passado, o Salão do Livro movimentou cerca de R$ 1 milhão em negócios e atraiu um público em torno de 65 mil visitantes ao Parque da Cidade Espaço Pérola do Tapajós, que ocupa uma área de 3.660 metros, onde foi montado o evento. A decisão de realizar o Salão em Santarém, mesmo com as limitações orçamentárias dos municípios em função da crise econômica pela qual passa o país, ocorreu após reunião entre gestores da Secult e do Centro Regional de Governo do Baixo Amazonas.

Imprimir

O Salão do Livro atraiu público de quase 65 mil pessoas em Santarém

O XI Salão do Livro da Região do Baixo Amazonas será realizado de 7 a 16 de setembro, nesta cidade do oeste do Pará. A data foi anunciada na terça-feira (19), após reunião entre o secretário de Estado de Cultura, Paulo Chaves, e os organizadores do evento.

O Salão é uma extensão da Feira Pan-Amazônica do Livro, que este ano chegou a sua 22ª edição, promovida pelo Governo do Pará. A decisão de realizar o Salão em Santarém, mesmo com as limitações orçamentárias dos municípios em função da crise econômica pela qual passa o país, ocorreu após reunião entre gestores da Secult e do Centro Regional de Governo do Baixo Amazonas.

“Estaremos juntos, Estado e Prefeitura, para viabilizar o Salão, para que tudo aconteça como o planejado e seja o maior sucesso, como tem sido nos últimos anos. Afinal, a cultura, pelo que significa em todos os sentidos, é maior do que tudo”, disse Paulo Chaves, reafirmando a decisão do governo em manter um evento que entrou para o calendário cultural dessa região paraense, como o mais importante acontecimento literário, atraindo mais de 20 municípios do oeste paraense.

No ano passado, o Salão do Livro movimentou cerca de R$ 1 milhão em negócios e atraiu um público em torno de 65 mil visitantes ao Parque da Cidade Espaço Pérola do Tapajós, que ocupa uma área de 3.660 metros, onde foi montado o evento.

Festa da Cultura - Segundo Paulo Chaves, mais que um acontecimento literário, o Salão é uma festa da cultura para a região e para o Estado, o que há 22 anos vem ocorrendo em Belém e outros municípios, como Marabá, que sediou no final de maio até a primeira semana de junho o Salão do Livro da Região Sul e Sudeste do Pará, com cerca de 60 mil visitantes.

Paulo Chaves enfatizou a importância do Salão por ser, também, um ponto de encontro literário de escritores convidados e escritores paraenses e de outros estados, que vieram residir na região e acabaram sendo adotados como paraenses. “E com isso se faz esta Feira, que nasceu diferente e foi se adaptando até chegar ao que é hoje”, reiterou o secretário.

Em Santarém termina o circuito da Feira Pan-Amazônica do Livro e dos salões literários programados para 2018, tendo como patrono o escritor e poeta paraense Age de Carvalho, e como país homenageado a Colômbia. (Secom)

 

 

 

Leia também:
Polícia Civil prende acusados de comandar…
Alvo de controvérsias, floresta do Jamanxim,…
Lula pode exercer atos de campanha, mesmo…
Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *