Praça Gigi Alho desaba com as fortes chuvas que caem na região

Um dos símbolos da revitalização, feita prefeita Maria do Carmo, na orla da cidade, a Praça Gigi Alho, localizada no final da rua Pedro Teixeira, desabou há mais de uma semana, com as primeiras chuvas da estação.

Imprimir

Um dos símbolos da revitalização, feita prefeita Maria do Carmo, na orla da cidade, a Praça Gigi Alho, localizada no final da rua Pedro Teixeira, desabou há mais de uma semana, com as primeiras chuvas da estação.

Parte do calçamento e do muro de arrimo veio abaixo, deixando à mostra as estruturas do parapeito de ferro e das fundações que garantiam a estabilidade da obra. Até o momento, a Prefeitura tratou apenas de interditar o local.

Nas redondezas da praça, uma quantidade enorme de embarcações faz do local seu porto mais seguro e local de embarque e desembarque de cargas e passageiros. Logo após a inauguração da praça, tentou-se proibir a atracação no local, mas com o tempo não houve mais fiscalização e a rotina se estabeleceu novamente. A alegação para a proibição era de que as embarcações estariam utilizando as estruturas de ferro existentes para amarrar seus cabos de atracação.

Segundo a Seminf, a situação da praça está sendo avaliada pelo setor de engenharia, que já está planejando o que será feito no local. Mas não soube informar quando irá começar o reparo da situação.

Construída sobre onde já funcionou a sede do Incra, o local vinha ultimamente servindo de garagem náutica do órgão. O lugar foi transformado na praça depois de uma longa disputa judicial entre a associação dos moradores do bairro e o Incra, que havia se apropriado indevidamente de um lugar público e dele queria fazer sua propriedade particular. A Justiça teve bom sendo e deu ganho de causa aos moradores.

 

Imprimir

Deixe um comentário

Current month ye@r day *